Um bom jazz.

Sentado em uma mesa de canto, joão tomava seu ultimo trago de wisky, do cinzeiro subia ondas de fumação do cigarro que acabara de apagar.
João com o braço apoiado sobre a mesa olha a sua volta, um bar com poucas pessoas, o barman recostado no balcão, algumas poucas mesas, a maiora delas, vazias, no canto do salão um velho jukebox tocando uma musica bastante batida.
João se levanta e anda pelo salão, vai até o velho jukebox vasculha seus bolsos atras de uma moeda, na lista de musicas entre rits e bregas ele encontra uma pequena sequencia de um bom jazz, Art Tatum – tea for two, foi a musica que ele escolheu, o velho jukebox após alguns segundos se dispõe a tocar, joão segue para o bar e com um gesto pede mais uma dose daquele que éra seu grande companheiro por noites a fio, ele acente mais um cigarro. De pé no centro do salão escurecido ele balança de um lado para o outro, não éra uma dança, talvez um ritual, ele estava de olhos fechados, um copo de wisky em uma mão e o cigarro acesso na outra. Por mais estranho que seja, João estava feliz, na sequencia, Ella Fitzgerald – Misty, com um movimento suave ele convida uma garçonete que por ele passava para uma dança, ela sorri e acena negando o convite, ele sorri de volta com um gracejo. Não faz diferença, João estava feliz, e ali continuava cultuando sua pequena sequencia de um bom jazz, Julie London – one for my baby, Pink Floyd – green is the color, Madeleine Peyroux- I´ll look around, joão sorri sozinho e dança e canta, quando sente em seu ombro um leve toque, éra a garçonete, ela lhe sorri, ele deixa o copo na mesa mais próxima e com um comprimento ele a toma em seus braços, eles dançam ao som de Oscar Peterson – Every time we say goodbye, os corpos colados seguem em um compasso lento, ela lhe cruza os braços sobre o pescoço, ele com as mãos em sua sintura, lentamente seus corpos se tocam, João a traz ainda mais para perto, os rostos se tocam, ela lhe acaricia a nuca, e eles se beijam, um leve tocar de labios, como se quisessem perpetuar aquele momento João olha dentro dos olhos daquela garçonete, que lhe sorri, eles voltam a se abraçar, e por mais alguns segundos eles dançam, quando então a musica acaba.
João então da um passo atras, ainda de mãos dadas com a garçonete, ele lhe sorri, ela lhe sorri, ele então anda em direção a sua mesa, pega o chapeu que ali deixara, e sai pela porta do bar, sem sequer olhar para tras. Ele estava Feliz.

Anúncios

2 thoughts on “Um bom jazz.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s