Maquiagem borrada.

Xingamentos, gritos, olhares coléricos, ameaças, empurrões tudo isso aconteceu no intervalo de alguns instantes,estávamos em pé de guerra.

Como dois animais irracionais afiamos nossas garras e partimos para cima do outro, como se disso dependesse nossa vida, dissemos coisas que se quer passavam por nossas cabeças…

Como se não existisse mais nada a nossa volta, no máximo volume de nossas vozes, gritamos, e nossos gritos ecoaram pelos corredores a nossa volta, cegos, ficamos cegos e no ápice de nossa fúria você disse que não me amava mais, que não me queria mais… o mundo silenciou.

Lembro de olhar profundamente em seus olhos, e vê-los vermelhos com lagrimas escorrendo com o que sobra-ra de sua maquiagem, faltaram-me palavras, me virei em direção a porta e com passos pesados caminhei, sai de seu apartamento e me apoiei na porta do elevador, eu queria chorar, minha respiração atropelava minha vontade, o ar me fugia, acho que apertei o botão do elevador umas milhares de vezes, nada do elevador…

Silencio, senti-me perdido, não sabia mais onde estava, por um breve momento pensei que cairia, meu mundo girou como se nada pudesse resistir.

Ouvi então você me chamar, ainda de costas ouvi o barulho de seus passos no corredor, quando então o elevador chegou, a porta se abriu a minha frente, um passo, nada mais que um passo me separava, com meu braço segurei a porta do elevador e olhei novamente em seus olhos, você falava mas eu não ouvia sua voz, sua maquiagem borrada mostrava uma face que eu não conhecia… busquei por um instante seu sorriso em seu rosto, e não vi… entrei no elevador e vi a porta se fechar entre nós… estávamos a um passo ou um gesto de distancia…

Nossos caminhos nos levaram para estradas diferentes…

Agora tempos depois estamos novamente frente a frente, você me pergunta se ainda penso em você…
Diz que nunca deixou de me amar, que me quer de volta… e diz que tenho medo.

Perdi muito tempo tentando te apagar de minha memória, nunca consegui, mas de alguma maneira aprendi a viver com você no passado.

Nem lembro como começamos a brigar naquele dia, ou o motivo, se é que existiu, mas lembro o porque de eu ter ido embora.
No exato momento em que vi suas lagrimas escorrendo sua maquiagem e olhei dentro de seus olhos, eu percebi que te amava demais, e que, te fizera sofrer. Não suportei a sua dor.

Então, seu eu te quero de volta? Claro, mas com uma condição, só vou te amar sem maquiagem.

Leleu Antonio.

Anúncios